Viva intensamente.

VIVA!

 

 

Se pudéssemos ler a história secreta de nossos inimigos, descobriríamos na vida de cada homem tristeza e sofrimento suficientes para desarmar qualquer hostilidade.” (Henry Wadsworth Longfellow)

Viver é muito mais que apenas respirar. As vezes acabamos ficando presos na monotonia da rotina, funcionando apenas no automático . Qual foi a última vez que você fez algo diferente do que está acostumado ?

Realizar coisas que não fazem parte do comum do dia a dia nos faz se sentir vivos !

A vida é curta e, por isso explorá-la e tirar proveito de tudo que ela tem para oferecer, é quase que uma tarefa obrigatória . Você já parou para pensar em como tem  vivido nesses últimos tempos ?

A vida tem seu valor, mas infelizmente não há como mensurá-lo. Por isso devemos apenas viver de modo pleno, fazendo o bem, plantando o amor e cultivando apenas sentimentos de paz, de alegria e de sabedoria. A fragilidade que envolve um corpo humano é tanta que o que ficará é somente o que doamos ao mundo com a pureza das nossas almas.

A pergunta que temos que fazer a nós mesmo é se estamos fazendo tudo o que podemos fazer ou só estamos vivendo por viver.

Vanessa Bonafini

Essa tal de Felicidade !!!

Rotina

 

Felicidade é, realmente, a grande busca do ser humano. É o que está na origem de todos os nossos desejos, sejam eles quais forem. É para sermos felizes que buscamos a prosperidade, o amor da nossa vida, a saúde e a beleza, o sucesso no trabalho, a harmonia em família e tudo mais que podemos imaginar. Mas… é mesmo difícil “encontrar” essa tal felicidade? A felicidade não é o tipo de coisa que se “encontra” nem se “busca” como algo que está fora da gente, como um pote de ouro no final do arco-íris. Não existe felicidade em lugar algum a não ser dentro de você mesmo! A felicidade é que ela vem de uma disposição interior, uma capacidade para ter satisfação com o que se é aqui e agora. Olhe à sua volta e você encontrará alguém que se mostra satisfeito com o que faz, a vida que leva, o seu dia-a-dia, o seu mundo Deixe de lado o pote de ouro e questione interiormente onde está a sua satisfação. Só você pode saber se o calo dói, se a água mata a sede, se a roupa aperta, se a vida satisfaz. O que impede que você tenha satisfação agora? Onde está sua satisfação? Você já parou para se dar uma satisfação sobre os desejos que não realizou ou abandonou no meio do caminho? Entenda que ninguém mais pode lhe proporcionar satisfação a não ser você mesmo. Assuma isso e descobrirá que pode ser feliz agora.

Acredito que ser feliz é o que de fato todos nós almejamos. O problema é que muitas vezes achamos erroneamente que a felicidade é algo externo, quando na realidade, está dentro de nós. A felicidade não está em carros ou celulares, não está em iPads ou apartamentos novos, está dentro de cada um de nós.

Você vai descobrir que felicidade é fazer o outro sorrir, mas infelizmente, as pessoas desaprenderam a sorrir. Estão sempre carrancudas dentro de seus mundos cinzas e corridos. Há coisa mais bela do que uma criança que se abre para o mundo quando fazemos uma simples brincadeira? É lógico que a felicidade em nossa vida moderna é uma tarefa que exige muitos pré-requisitos. Um deles é algum dinheiro que dê segurança. Outro é o tempo para poder curtir esse dinheiro.

A felicidade é algo que se multiplica quando se compartilha. O que te faz realmente feliz? Já pensou nisso? Que tal sair totalmente da rotina e viajar para algum outro país que você sempre quis conhecer? Que tal ser mais feliz todos os dias? Que tal ser feliz hoje o amanhã é outro dia.

Vanessa Bonafini

 

Leveza, um dos melhores sentimentos do mundo.

 

A imagem pode conter: 1 pessoa

 

“Um dos melhores sentimentos do mundo. É quando você percebe que você é perfeitamente feliz sem aquilo que você achava que precisava” Autor desconhecido

Hoje as pessoas estão pesadas, antônimo de leveza, isso porque vivemos em uma sociedade competitiva e que cobra o tempo todo…. Para sobreviver a essa dura realidade, as pessoas informadas têm lutado para conseguir essa tal leveza, e como é que adquirimos esse novo quadro ou dinâmica de vida?

Então começamos a primeiro jogar tudo que pesa, compromete ou estraga nossa vida, sem esse primeiro passo será impossível finalizar nosso objetivo, jogar fora significa tirar pessoas, cargos, amizades, tarefas, pois bem, não é fácil essa tarefa porque começamos como segundo passo dizer NÃO para algumas dinâmicas erradas e disfuncionais em nossas vidas!!

O poder do não é de grande importância, pois, começará a discriminar o que então ficará em sua vida! Em terceiro ponto, trabalharmos a culpa que é a grande vilã e inimiga da leveza, pois ela é dura e tem a direção de trazer peso e nos sabotar, trabalhar a culpa é imprescindível para o processo, porque mudaremos coisas que não estarão de acordo com as pessoas ao nosso redor, até porque muitas mudanças envolverão a própria dinâmicas com elas!

Livrando-se da culpa e aprendendo a ter consciência de que nós temos necessidades também, ou seja, temos deveres sim, porém direitos também, como todo ser humano.

E finalizando o processo, ter a consciência de que aprovação talvez não entre nesse momento em nossas vidas, mas a nossa leveza entra um toque de egoísmo necessário para terminar esse estágio de sobrevivência ao peso da vida, mas com muita consciência das nossas escolhas…

Só assim poderemos ter qualidade de vida com leveza, quando você percebe que é perfeitamente feliz, sem aquilo que você achava que precisava.

Vanessa Bonafini

Depois dos 40 anos não há depois, é tudo agora!

depois dos 40

 

Os 40 anos são um momento de renovação de vida. Não somos mais tão novos quanto aos 20 anos, mas ainda estamos jovens e temos tudo o que é preciso para viver a melhor fase de nossas vidas, experiência, maturidade, consciência, e muitas vezes um desejo de renovação.

Para as mulheres, essa nova fase pode ser ainda mais intensa, porque estão mais seguras de si mesmas e do que querem para suas vidas, nos relacionamentos românticos, amizades, vida profissional. Essas mulheres se priorizam, vivem de acordo com suas próprias vontades, não precisam mais provar nada a ninguém e nem buscam ser aceitas. Sua felicidade depende apenas de si mesmas.
Depois dos 40 anos, o pensamento feminino muda, desembaraça. A intimidade não é mais performance, exaustão, é fazer o que se gosta e do jeito que gosta. É aproveitar dez minutos com a intensidade de uma noite inteira, é reconhecer o rosto do próprio desejo no primeiro suspiro, é optar pela submissão por puro prazer, sem entrar na neurose da disputa ou do controle.
A mulher de 40 não diminui o ritmo da intimidade. Pode ler um livro com a intensidade de um momento íntimo. Pode assistir um filme e conversar com a mesma intensidade. Ela não tem um momento para a sensualidade, a sensualidade é todo momento.
Tomar o café da manhã não é apenas um desjejum, tem a sua identidade, o seu ritual, um refinamento da história de seus sabores.

Tomar o café da manhã com uma mulher de 40 anos é participar de sua memória, de suas escolhas.

Ela não precisa mais provar nada. Já sofreu separações, e tem consciência de que suporta o sofrimento. Já superou dissidências familiares, e tem consciência de que a oposição é provisória. Já recebeu fora, deu fora, entende que o amor é pontualidade e que não deve decidir pelo outro ou amar pelos dois.

A mulher de 40 anos, cansada das aparências, cometerá excessos perfeitos. É mais louca do que a loucura porque não se recrimina de véspera. É ainda mais sábia do que a sabedoria porque não guarda culpa para o dia seguinte.

A beleza se torna também um estado de espírito, um brilho nos olhos, o temperamento. A beleza é resultado da elegância das ideias, não somente do corpo e dos traços físicos.

Encontrou a suavidade dentro da serenidade. A suavidade que é segurança apaixonada, confiança curiosa.

O riso não é mais bobo, mas atento e misterioso, demonstrando a glória de estar inteira para acolher a alegria improvisada, longe da idealização, dentro das possibilidades.

Não existe roteiro a ser cumprido, mapa de intenções e requisitos.

Há a leveza de não explicar mais a vida. A leveza de perguntar para se descobrir diferente, em vez de questionar para confirmar expectativas.

Ser tia ou mãe, ser solteira ou casada não cria angústia. Os papéis sociais foram queimados com os rascunhos.

A mulher de 40 é a felicidade de não ter sido. É a felicidade daquilo que deixou para trás, daquilo que negou, daquilo que viu que era dispensável, daquilo que percebeu que não trazia esperança.

Seu charme vai decorrer mais da sensibilidade do que de suas roupas. O que ilumina sua pele é o amor a si, sua educação, sua expressividade ao falar.

A beleza está acrescida de caráter. Do destemor que enfrenta os problemas, da facilidade que sai da crise.

A beleza é vaidosa da linguagem, do bom humor. A beleza é vaidosa da inteligência, da gentileza.

Depois dos 40 anos não há depois, é tudo agora.

E ai quem mais se identifica.

Vanessa Bonafini

 

Esperança na Oncologia

Pela primeira vez na América Latina, médicos da Universidade de São Paulo (USP) realizaram com sucesso um tratamento com o uso de células T alteradas em laboratório para combater células cancerígenas de linfoma. Chamado de terapia celular CAR-T, o procedimento já é adotado nos Estados Unidos como “último recurso” para tratar linfomas e leucemias avançadas.

O tratamento, realizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, no interior paulista, foi aplicado, no início de setembro, o aposentado Vamberto Castro de 62 anos, com linfoma em estado grave e sem resposta a tratamentos convencionais para a doença.

“O paciente tinha um câncer em um estágio terminal, já tinha sido submetido a quatro tipos diferentes de tratamento, sem resposta. Estava no que nós chamamos tratamento compassivo, que é tratamento sintomático, esperando o desencadear normal, que é o óbito. Estava na fila dos sem possibilidade de tratamento”, lembra o médico Dimas Tadeu Covas, coordenador do Centro de Terapia Celular (CTC) da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP.

Cerca de 20 dias após o início do tratamento, a resposta de saúde do paciente foi promissora: os exames passaram a mostrar que as células cancerígenas desapareceram. “Ele teve essa resposta quase milagrosa. Em um mês, a doença desapareceu. Para essa situação, existem experiências americanas [que mostram] que o índice é superior a 80% de cura. Pacientes que estavam condenados, como esse do nosso caso, têm 80% de chance de cura com uma única aplicação desse tratamento”, destaca o médico.

“Daí a sua característica revolucionária. As pessoas não acreditam na resposta tão rápida em um curto espaço de tempo”, acrescenta Covas. O paciente, que deve ter alta no próximo sábado (12), será acompanhado por uma equipe médica, por pelo menos 10 anos, para que se saiba a efetividade do procedimento.

Vamberto Castro recebe tratamento de médicos da USP que fez desaparecer células de linfoma

O linfoma combatido com o novo tratamento é um tipo de câncer que afeta o sistema imunológico. O paciente sofria de uma forma avançada de linfoma de células B, que não havia respondido a nenhum dos tratamentos de quimioterapia e radioterapia indicados para o caso. O prognóstico era de menos de um ano de vida.

Diante da falta de resultado das terapias convencionais disponíveis, o doente foi autorizado a se submeter ao tratamento com as chamadas células CAR-T, ainda em fase de pesquisa. A aplicação do novo procedimento foi coordenado pelo médico hematologista Renato Cunha, pesquisador associado do Centro de Terapia Celular da USP, que conta com apoio pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

A forma de terapia celular usada em Ribeirão Preto é a CAR-T, na qual as células T do paciente (um tipo de célula do sistema imunológico) são alteradas em laboratório para reconhecer e atacar as células cancerígenas ou tumorais. O termo CAR refere-se a um receptor de antígeno quimérico (chimeric antigen receptor, em inglês).

“A terapia consiste em modificar geneticamente células T para torná-las mais eficazes no combate ao câncer. Esta forma de terapia celular é justamente indicada para aqueles casos que não respondem a nenhuma outra forma de tratamento,” explica Cunha.

Depois que as células T do paciente foram coletadas e geneticamente modificadas, a equipe de Cunha as reinjetou na corrente sanguínea, num procedimento chamado infusão. “Feito isto, as células T modificadas passaram a se multiplicar aos milhões no organismo do paciente, fazendo com que o sistema imune deste passasse a identificar as células tumorais do linfoma como inimigos a serem atacados e destruídos.”

De acordo com o hematologista, os resultados da terapia celular para o tratamento das formas mais agressivas de câncer são tão espetaculares, que seu desenvolvimento rendeu o Prêmio Nobel de Medicina de 2018. Os premiados foram os dois pioneiros da terapia celular, o norte-americano James Allison e o japonês Tasuku Honjo.

Vanessa Bonafini

Diagnosis – Diagnóstico

Diagnóstico: resolvendo os mistérios médicos mais desconcertantes.

Dores de estômago . Erupções roxas. Dividindo dores de cabeça. Por que é tão intrigante ler histórias de pessoas lidando com algo muito errado com sua saúde e aprendendo o processo passo a passo que os médicos adotam para descobrir exatamente o que está errado? Se você gosta desse tipo de coisa, então precisa assistir esse documentário – série  no Netflix e lança um novo livro Diagnosis Resolvendo os mistérios mais Desconcertantes.

Dra. Lisa Sanders, uma colunista do New York Times  internista do corpo docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Yale. 

Ela na minha opinião faz parte daquelas médicas como poucas hoje em dia, nesse mundo tão assustador e aterrorizante que se chama doenças sem soluções ou simplesmente médico que trata pacientes como mais um número. Ela escreve mensalmente na coluna do New York Times, sobre vários tipos de doenças as vezes o paciente tem a meses as vezes alguns anos, pais desesperados que não sabem a quem mais recorrer depois de tantas consultas e exames sem diagnósticos. Objetivo dela é que pessoas do mundo todo e não somente médicos possam entrar em contato e ajudar de alguma forma solucionar o problema ou a dor e não se trata necessariamente de médicos, em alguma parte do mundo possivelmente alguém vai encontrar um problema igual ou parecido com o seu.

O que mais me chamou atenção foi a generosidade  o amor e preocupação que ela tem, com pacientes que não são dela, em um mundo que poucos se importam com o próximo ter o privilégio de ter alguém ajudando faz toda diferença, porque ela realmente se envolve sofre e fica feliz quando tudo é resolvido.

”Eu acho que os médicos estavam e muitos ainda se sentem desconfortáveis ​​com os pacientes, entendendo quanta incerteza existe em torno da medicina”. Dra. Lisa Sanders

Não sei se concordo muito com ela com o fato dos médicos se sentirem desconfortáveis com os pacientes, com a minha experiência em ter sido paciente de oncologia e depois meu filho, inclusive sendo um caso parecido com o qual a  Dra. Lisa ajudou a solucionar um menino de 16 anos que tinha câncer na perna direita. Posso falar da minha experiência pessoal, que tivemos alguns problemas muito sério com um determinado médico, câncer por si só já é um tratamento difícil e assustador então imaginem para uma criança se o médico não tiver uma boa didática para lhe dar com o paciente podem ter certeza que o tratamento vai ser ainda mais difícil . É preciso entender que todo paciente independente de qual doença esteja tratando ou procurando respostas, tem que questionar seu médico fazer perguntas e tirar todas as dúvidas, afinal médico não e Deus e nenhum nunca vai saber tudo, então imaginem nós meros mortais. NÃO EXISTE PERGUNTA BURRA. A troca de informações é valida para todos e a internet está ai para facilitar, não entendeu ou não sabe, anota e pergunta na próxima consulta e se o médico não soube responder de imediato, pode ter certeza que ele vai se informar e na próxima consulta você tem a resposta.

Mais o que quero dizer com tudo isso, é como essa troca de informação nesse documentário mostra que o mundo está interligado pela internet hoje em dia, que você pode até se desesperar num primeiro momento mais respire fundo que lá na frente tudo vai dar certo.

Dra. Sanders um caso que me chamou muita atenção de uma moça de 23 anos que mora em Nevada, que há nove anos convivia com uma dor insuportável no corpo que praticamente todas as vezes terminavam no hospital  sem solução e muitos gastos financeiros, porque aqui no EUA saúde é caríssimo e muito caro mesmo. Uma equipe médica de Turim na Itália entrou em contato com a paciente, que foi até eles e realizou um exame que chama Genética Molecular que foi afunilando as doenças até que dois meses depois se chegou ao resultado, nove anos de sofrimento e um diagnóstico que foi muito favorável para paciente que precisou modificar sua dieta. Então cada vez mais acho valido a troca de informações que seja virtualmente ou pessoalmente.

Dra. Lisa Sanders, tem toda minha admiração e respeito, espero que no mundo tenha e acredito que tenha mesmo mais profissionais como ela.

Vanessa Bonafini

Diagnosis_Final

@New York Times.

@ Dra. Lisa Sanders

 

PROTOCOLO BUDWIG CONTRA O CÂNCER

dra budwing

O Protocolo Budwig contra o câncer foi inventado pela Dra. Johanna Budwig uma das mais conceituadas bioquímicas da  Alemanha na década de 1950 ,ela era considerada uma das melhores pesquisadoras de câncer de toda Europa, desenvolveu um tratamento simples que até hoje é considerado uma das melhores alternativas para obtenção da cura do câncer de forma natural.

A Dra. Budwing teve uma taxa de sucesso de 90% com seu tratamento para todos os tipos de pacientes com câncer.

Foi indicada sete vezes ao Prêmio Nobel de Medicina.

Ela que fundamentou o seguinte :

“… ácidos graxos altamente insaturados desempenham um papel decisivo no funcionamento da respiração celular do corpo. A vida das células depende do bom funcionamento das suas membranas, em função da disponibilidade de gorduras insaturadas. Agentes cancerígenos anexam-se a partes da célula [com respiração deficiente].”

“Ingerir uma gordura insaturada [como o] omega 3 de superfície ativa, re-ativa as funções vitais quando tomadas juntamente com uma dieta saudável de frutas orgânicas frescas, legumes, nozes, grãos, e sucos de vegetais, bem como evitar todos os alimentos processados e prejudiciais.”

Este protocolo inclui uma série de orientações para a sua alimentação, o uso de alimentos vivos, abolir os alimentos industrializados, moer as sementes na hora de ingerí-las e beber somente água pura mas, indica também que, para uma saúde melhor é importante fazer dessas ações a sua filosofia de vida.

Protocolo Budwig contra o câncer

  • beber somente água pura
  • receber quantidades adequadas de sol para estimular a cura na mente e no corpo
  • eliminar da dieta todos os alimentos processados
  • não consumir açúcar, carnes ou gorduras animais
  • preparar somente frutas e vegetais orgânicos e frescos
  • aprontar e comer imediatamente, nunca utilizar sobras
  • evitar drogas e suplementos
  • sempre moer as semente de linhaça na hora e consumir em menos de 15 minutos
  • misturar queijo quark ou cottage com óleo de sementes de linhaçanuma proporção de 2:1 e bater até que não reste qualquer óleo flutuando
  • depois desse estágio pode-se temperar e acrescentar verdinhos ou vegetais picados ao novo queijo.

A receita da Dra Budwig é simples: queijo cottage e linhaça

Nestes dois ingredientes, na proporção indicada, de 2:1, você terá a quantidade de ácidos graxos poliinsaturados essenciais, ômega 3 e ômega 6 suficientes para a sua alimentação diária. Mas, veja bem, é fundamental misturar os ácidos graxos, ou os alimentos que os contêm, com frutas, verduras, água pura, exercício, ar puro e sol, para sintetizar a vitamina D que o nosso sistema imunológico precisa.

O que fazemos ao bater o queijo cottage e as sementes de linhaça é emulsionar os ácidos graxos essenciais que estas contêm, tornando-os muito mais acessíveis para nós – ou seja, eles entram no nosso organismo já meio prontos para serem absorvidos na corrente sanguínea através da mucosa do trato intestinal.

Se você estiver tratando um câncer, faça desta a sua dieta alimentar mas não abandone os outros tratamentos indicados pelo seu médico. A Dra. Budwig recomendava que se consumisse até 8 colheres de sopa de óleo de linhaça emulsionado com cottage ou queijo quark, ao dia, caso você estivesse em tratamento e, 1 colher de sopa, caso seu objetivo seja a prevenção.

Vanessa Bonafini

flaxseed oil and cottage cheese budwig protocol