A arte do perdão

O perdão pode ser definido como a “paz e compreensão que vem de diminuir a culpa daquilo que o magoou, levar sua experiência de vida menos para o lado pessoal e ver o custo de guardar rancor.

Uma das tarefas mais desafiadoras que enfrentamos na vida é como permanecer em paz quando algo nos frustra. Não conseguir o que queremos é um dos principais desafios para lidar com a doença, o abandono, a desonestidade ou quaisquer outras dificuldades que nós humanos vivenciam. A maioria de nós nunca aceita totalmente que a vida muitas vezes não nos dá o que queremos. Freqüentemente, reagimos com indignação ou ofensa quando uma experiência de vida normal mas difícil surgi. A maioria de nós piorará a situação insistindo e reclamando que a dificuldade específica está errada em vez de concentrar nossa energia em como lidar da melhor forma com a situação.

Temos a escolha de perdoar as partes da vida das quais não gostamos ou continuar sofrendo, insistindo que a vida seja conduzida em nossos termos. Muitos de nós temos problemas com o perdão porque existem muitos pontos de vista diferentes sobre ele. Para alguns, significa que sua religião os obriga a superar algo que os magoa. Para outros significa que eles precisam se tornar amigos novamente de pessoas que os maltrataram. Por fim, algumas pessoas pensam que perdoar é o mesmo que dizer que o que aconteceu estava bem.

Na verdade, ninguém precisa perdoar – o perdão é uma escolha. O perdão significa que liberamos nosso sofrimento em situações difíceis; isso não significa que temos que nos colocar de volta em situações dolorosas. O perdão significa que embora o que aconteceu não esteja bem, você pode seguir em frente e fazer as pazes por si mesmo.

Existem três tipos diferentes de ofensas que podem ser perdoadas. É comum que as pessoas pensem que estão envolvidos em processos diferentes tanto de criar uma queixa quanto de aprender a perdoar. Porém em cada situação o problema é essencialmente é o mesmo, algo que realmente queríamos que acontecesse de uma certa forma não acontecia.

O primeiro tipo é o mais comum, quando outra pessoa cometeu a ofensa contra você. Esse tipo de perdão é chamado de perdão interpessoal. O segundo tipo de perdão quando você fica chateado com algo que fez, é chamado de perdão intrapessoal. Nesse caso você está se perdoando. O terceiro tipo de perdão é existencial, onde você perdoa a Deus ou à natureza pelo que eles fizeram a você. O perdão existencial muitas vezes é um componente crítico do perdão interpessoal ou intrapessoal e é visto quando fazemos a pergunta “Como isso poderia acontecer?”

Acredito que fazer a escolha de perdoar pode ser uma prática libertadora. O perdão só é possível porque temos a capacidade de fazer escolhas. Temos a escolha de perdoar ou não perdoar e ninguém pode nos forçar a fazer isso. O perdão é escolher levar a ofensa menos para o lado pessoal culpando menos a situação ofensiva por como nos sentimos e mudando a forma como descrevemos a situação para refletir nossa escolha de perdoar.

O desenvolvimento do perdão ocorre em quatro etapas ou estágios.

Quatro Estágios de Perdão

Passo um

Você está cheio de raiva auto-justificada. Em algum momento de sua vida você foi ferido e está louco ou magoado por uma experiência que sente que foi injusto com você. Você culpa a pessoa que cometeu o erro pelo modo como está se sentindo. É a ação deles e não a sua escolha de resposta que você acredita ser a causa de sua angústia. Você se esqueceu de que tem opções sobre como reagir. Talvez você esteja tão ferido que está convencido de que não seria certo perdoar a ofensa. Nesse estágio geralmente há raiva ativa e submersa e também como muita dor.

Passo dois

Depois de se sentir chateado com alguma coisa por um tempo, você percebe que sua mágoa e raiva não lhe fazem bem. Pode estar afetando seu equilíbrio emocional ou saúde física. Você pode querer reparar o dano ao relacionamento e tomar medidas para o perdão. Você pode começar a ter uma perspectiva de como o problema é comum ou pode simplesmente decidir deixar de lado a dor. Em ambos os casos após um longo período de tempo você não está mais ofendido e perdoou a situação pessoa que lhe causou sofrimento. Esse processo de perdão pode ser aplicado à raiva de si mesmo, de outra pessoa ou da vida em geral.

Passo três

O terceiro estágio do perdão ocorre depois que você vê os resultados do perdão em ação e decide abandonar uma nova ofensa rapidamente. Nesse estágio, você opta por sentir a mágoa por um período mais curto de tempo e então trabalha para reparar o relacionamento ou deixar de ver a situação como um problema. Em qualquer dos casos, você decide perdoar porque já praticou mais e vê o benefício claro em sua vida. Isso pode acontecer quando algo simples ocorre, como ser cortado por outro carro na via expressa ou em uma situação complexa como um caso em um casamento. Neste estágio de perdão, você está ciente de que o período de tempo em que vivenciar uma situação como uma ofensa depende principalmente de você.

Quarto Passo

O quarto estágio do perdão envolve a escolha de raramente se ofender em primeiro lugar. Isso significa que você está preparado para perdoar antecipadamente por um gatilho específico. Este estágio geralmente surge simultaneamente com todos ou alguns dos seguintes pensamentos:

  • Não quero desperdiçar minha preciosa vida com o desconforto causado pela raiva ou mágoa, então decidirei me sentir diferente. Sou capaz de me perdoar, perdoar os outros, perdoar a vida e perdoar a Deus.
  • Eu sei como dói quando as pessoas não me perdoam. Não quero machucar outras pessoas com minhas ações, então vou perceber o problema de uma maneira que posso lidar com ele ou deixá-lo ir.
  • A vida é repleta de belezas incríveis e maravilhas e estou perdendo essas experiências se estou preso na lembrança de velhas mágoas ou decepções. Eu me perdoo por ter me desviado.
  • Todos, inclusive eu operam principalmente por interesse próprio. Devo esperar que às vezes eu, no meu interesse próprio, fique incomodado com a expressão de interesse próprio de outra pessoa. Se eu posso entender que esta é uma parte normal da vida o que há para ficar chateado?

Freqüentemente, as pessoas com câncer têm queixas ou mágoas que se enquadram em cada um dos três tipos de ofensas perdoáveis. De um modo geral a maneira como alguém perdoa uma reclamação específica é a mesma não importa se a reclamação é contra você, outra pessoa ou Deus.

Nove Passos para o Perdão

  1. Saiba exatamente como você se sente sobre o que aconteceu e seja capaz de articular com precisão o que não é aceitável para você. Em seguida conte a algumas pessoas de confiança sobre a situação dolorosa e como você se sente a respeito. Depois de dar esses passos preliminares, você está pronto para começar a trabalhar para o perdão.
  2. Assuma o compromisso de fazer o que você deve fazer para se sentir melhor. Você não precisa continuar a sofrer por causa de alguma situação difícil. Lembre-se de que você merece se sentir melhor e em paz. O perdão é para você e não para mais ninguém. Ninguém precisa saber sobre sua decisão.
  3. Entenda seu objetivo. O perdão não é simplesmente a reconciliação com a experiência que o aborreceu, embora você possa conseguir isso. O que você busca é se sentir melhor. O perdão pode ser definido como a “paz e compreensão que vem de diminuir a culpa daquilo que o magoou, levar sua experiência de vida menos para o lado pessoal e ver o custo de guardar rancor.” Seu objetivo de perdão é encontrar paz em sua vida agora.
  4. Obtenha a perspectiva certa sobre o que está acontecendo. Reconheça que sua angústia primária vem de seus sentimentos feridos agora, não do que aconteceu no passado.
  5. Quando se sentir chateado, pratique uma técnica simples de gerenciamento de estresse para conter a reação de luta ou fuga de seu corpo. Quando você se lembra de um problema não resolvido seu coração acelera e sua pressão arterial sobe, suas mãos ficam frias e você não consegue pensar direito. Para conter esses sintomas e recuperar a calma, no exato momento em que você começar a ficar chateado ou a se lembrar do que aconteceu, concentre-se totalmente no estômago enquanto inspira e expira por duas respirações lentas e profundas. Em seguida, imagine algo em sua vida que seja lindo ou que o faça lembrar de algo que você ama. Segure os sentimentos que emergem dessa visualização na área ao redor do seu coração e relaxe. Essa técnica simples de duas etapas elimina sua experiência de angústia e permite que você pense com mais clareza sobre como lidar com o problema que está lutando para perdoar.Pratique fazer isso sempre que estiver chateado.
  6. Abandone as expectativas de outras pessoas ou de sua vida que elas não escolheram dar a você. Reconheça as “regras inexequíveis” que você estabeleceu para sua saúde ou como você ou outras pessoas devem se comportar. Por exemplo, se você tem buscado apoio emocional de alguém que não o fornece pergunte-se: “Quantas vezes vou bater a cabeça contra a parede de frieza dessa pessoa, esperando que ela seja diferente?” A resposta de perdão é parar de fazer exigências a qualquer coisa que o tenha magoado. Lembre-se de que você pode se empenhar ativamente pela saúde, pelo amor, pela amizade e pela prosperidade e trabalhar duro para obtê-los. No entanto você sofrerá desnecessariamente se exigir que essas coisas ocorram quando não tem o poder de fazê-las acontecer.
  7. Coloque sua energia em procurar outra maneira de cumprir seus objetivos, em vez de investir em uma experiência que o prejudicou. Se você está esperando por um relacionamento amoroso com um pai indiferente, por exemplo, procure alguém que realmente possa oferecer amor de verdade, a orientação e a aprovação que você deseja verdadeiramente. Eu chamas essa etapa de encontrar sua intenção positiva. Em vez de repetir mentalmente sua mágoa e angústia, busque novas maneiras de ter suas necessidade satisfeitas a medida que sai de uma situação insatisfatória .
  8. Lembre-se de que uma vida bem vivida é sua melhor vingança . Uma pessoa que vive assim frequentemente encontra coisas para valorizar a cada momento. Em vez de se concentrar em seus sentimentos feridos e assim dar à pessoa que o feriu poder sobre você , procure a beleza e a bondade ao seu redor. Passe algum tempo apreciando as coisas boas de sua vida e lembre-se de experiências agradáveis e amorosas, uma ferramenta importante neste processo é listar as coisas pelas quais você é grato. No momento em que você mudar seus pensamentos desta forma, menos você se sentirá magoado com a injustiça da vida.
  9. Você começará a ver que o sol ainda brilha, as pessoas ainda se apaixonam e a beleza ainda existe em toda parte. Corrija a história de reclamação que você está contando e concentre-se em sua escolha de perdoar. Ao fazer isso você recupera o poder que deu a esta situação ofensiva para machucá-lo. Quando você for capaz de mudar a história que conta a si mesmo e aos outros, não dará tanto espaço para a dificuldade em sua mente e o resultado será paz. Esse sentimento de paz é a experiência de vida, acredite.

Vanessa Bonafini

http://www.vanessabonafini.com.br

2 comentários em “A arte do perdão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s