A arte do perdão.

 

O perdão pode ser definido como a “paz e compreensão que resultam em diminuir a culpa daquilo que o magoou, levar sua experiência de vida menos pessoalmente e ver o custo de guardar rancor.

Uma das tarefas mais desafiadoras que enfrentamos na vida é como permanecer em paz quando algo nos frustra. Não conseguir o que queremos é um dos principais desafios para lidar com doenças, abandono, desonestidade ou outras dificuldades que os humanos experimentam. A maioria de nós nunca aceita plenamente que a vida geralmente não nos dá o que queremos. Frequentemente, reagimos com indignação ou ofensa quando surge uma experiência de vida normal, mas difícil. Muitos de nós pioram a situação insistindo e reclamando que a dificuldade específica está errada, em vez de concentrar nossa energia na melhor maneira de lidar com a situação.

Temos a opção de perdoar as partes da vida de que não gostamos ou continuar sofrendo, insistindo para que a vida seja executada de acordo com nossos termos. Muitos de nós têm problemas com o perdão, porque há muitas opiniões diferentes sobre isso. Para alguns, isso significa que sua religião os compele a superar algo que os machuca. Para outros, significa que eles precisam se tornar amigos novamente das pessoas que os maltrataram. Finalmente, algumas pessoas pensam que perdão é o mesmo que dizer que o que aconteceu foi bom.

Na verdade, ninguém precisa perdoar,  o perdão é uma escolha. Perdão significa que liberamos nosso sofrimento em situações difíceis, isso não significa que devemos nos colocar de volta em situações dolorosas. Perdoar significa que, embora o que aconteceu não esteja bem, você pode seguir em frente e fazer as pazes.

Existem três tipos diferentes de ofensas que podem ser perdoadas. É comum as pessoas pensarem que diferentes processos de criação de uma queixa e de aprender a perdoar estão envolvidos. No entanto, em cada situação, o problema é essencialmente o mesmo , algo que realmente queríamos que acontecesse de certa maneira não aconteceu.

O primeiro tipo é o mais comum, onde outra pessoa cometeu o crime contra você. Esse tipo de perdão é chamado de perdão interpessoal. O segundo tipo de perdão, em que você fica chateado com algo que fez, é chamado de perdão intra-pessoal. Nesse caso, você está se perdoando. O terceiro tipo de perdão é existencial, onde você perdoa a Deus ou à natureza pelo que eles fizeram com você. O perdão existencial geralmente é um componente crítico do perdão interpessoal ou intra-pessoal e é visto quando fazemos a pergunta “Como isso pôde acontecer?”

É minha convicção que fazer a escolha de perdoar pode ser uma prática libertadora. O perdão só é possível porque temos a capacidade de fazer escolhas. Temos a opção de perdoar ou não e ninguém pode nos forçar a fazê-lo. O perdão é escolher encarar a ofensa menos pessoalmente, culpar menos a situação ofensiva pela maneira como nos sentimos e mudar a maneira como descrevemos a situação para refletir nossa escolha de perdoar.

 Existe quatro estágios de perdão

Passo um

Você está cheio de raiva auto-justificada. Em algum momento de sua vida, você foi ferido e ficou bravo ou ferido por uma experiência que lhe causou dano. Você culpa a pessoa que cometeu o erro pelo que está sentindo. É a ação deles e não a sua escolha de resposta que você acredita ser a causa de sua angústia. Você esqueceu que tem opções sobre como pode reagir. Talvez você esteja tão ferido que esteja convencido de que não seria correto perdoar a ofensa. Nesse estágio, geralmente há raiva ativa e submersa, além de muita dor.

Passo dois

Depois de ficar chateado com algo por um tempo, você percebe que sua mágoa e raiva não são boas. Pode estar afetando seu equilíbrio emocional ou saúde física. Você pode reparar os danos ao relacionamento e tomar medidas para o perdão. Você pode começar a ter uma perspectiva de tão comum é o problema ou pode simplesmente decidir abandonar sua dor. Em qualquer um dos casos, após um longo período de tempo, você não fica mais ofendido e perdoou a situação e a pessoa que está causando sofrimento. Esse processo de perdão pode ser aplicado à raiva de si mesmo, de outra pessoa ou da vida em geral.

Passo três

O terceiro estágio do perdão ocorre depois que você vê os resultados do perdão em ação e decide abandonar uma nova queixa rapidamente. Nesse estágio, você escolhe sentir a dor por um período mais curto e depois trabalha para reparar o relacionamento ou deixar de ver a situação como um problema. Em qualquer um dos casos, você decide perdoar porque teve mais prática e vê o benefício claro em sua vida. Isso pode acontecer quando algo simples ocorre, como ser cortado por outro carro na via expressa ou em uma situação complexa como um caso em um casamento. Nesta fase do perdão, você está ciente de que o período de tempo em que você experimenta uma situação como uma queixa depende principalmente de você.

Etapa quatro

O quarto estágio do perdão envolve a escolha de raramente se ofender em primeiro lugar. Isso significa que você está preparado para perdoar antes de um gatilho específico. Esse estágio geralmente surge simultaneamente com todos ou alguns dos seguintes pensamentos:

  • Não quero desperdiçar minha vida preciosa com o desconforto causado pela raiva ou pela mágoa, por isso decidi me sentir feliz. Sou capaz de me perdoar,  e perdoar aos outros, perdoar a vida e perdoar a Deus.
  • Eu sei como dói quando as pessoas não me perdoam. Como não quero magoar outras pessoas por minhas ações, resolverei o problema de tal maneira que posso lidar com ele ou deixá-lo ir.
  • A vida é incrível com toda sua beleza e admiração, e gosto dessa experiência, e não devo ficar presa à lembranças de velhas mágoas ou decepções. Perdoo-me por ter sido desviado.
  • Todo mundo, inclusive eu opera principalmente por interesse próprio. Devo esperar que às vezes eu no meu interesse próprio, fique irritado com a expressão de interesse pessoal de outras pessoas. Se eu consigo entender que essa é uma parte comum da vida, o que há para ficar chateado?

Muitas vezes, as pessoas com câncer têm queixas ou mágoas que se enquadram em cada um dos três tipos de crimes perdoáveis. De um modo geral, a maneira como alguém perdoa uma queixa específica é a mesma, não importa se a queixa está contigo, com outra pessoa ou com Deus.

Faça um compromisso consigo mesmo para fazer o que deve ser feito  para se sentir melhor. Você não precisa continuar sofrendo por causa de uma situação difícil. Lembre-se que você merece se sentir melhor e em paz. O perdão é para você e não para mais ninguém. Ninguém precisa saber sobre sua decisão. O perdão não é simplesmente reconciliação com a experiência que o aborrece, embora você possa conseguir isso. O que você está procurando é se sentir melhor. O perdão pode ser definido como a paz e compreensão que resultam em diminuir a culpa daquilo que o magoou, levar sua experiência de vida de forma mais leve. Seu objetivo do perdão é encontrar paz em sua vida agora.

Mantenha seus sentimentos o mais tranquilo possível , afinal de contas nada vai mudar se você não mudar primeiro.

Vanessa Bonafini

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s