Homem venceu o câncer e atribui melhora de 80% da doença à dieta vegetariana.

Resultado de imagem para dieta vegetariana e cancer?

 

Rob Mooberry, um homem americano que tinha câncer, está curado há cinco anos ?? e atribui sua saúde à dieta vegetariana à qual aderiu durante o tratamento.

Ele foi diagnosticado com câncer colorretal em estágio 4, um dos mais graves, em 2012. No início, ele começou a ter uma dieta saudável e a fazer exercícios, mas mesmo assim foi internado com uma perfuração no cólon. Na época, um exame detectou que o câncer tinha se espalhado para os intestinos, linfonodos e fígado. Ele passou por cirurgia, quimio e radioterapia e seu câncer passou para estágio 3A, um estágio ainda avançado, mas que já apresenta melhoras em relação ao início do tratamento.

Porém, foi apenas quando ele mudou para uma dieta vegetariana restrita, em novembro de 2012, que seu câncer teve uma remissão significativa: a doença estava 80% menor e menos agressiva em um novo exame realizado em 2013.

Agora Rob celebra cinco anos de cura da doença junto de suas filhas gêmeas de 2 anos de idade. Rob admitiu também que, apesar de ter dado certo com ele, ele não saí por aí advogando à favor das causas veganas o tempo inteiro. “Mas se você me perguntar o que funcionou para mim, eu vou te dizer: essa dieta”, explica.

Site : http://www.mucasamoo.com

Infelizmente não é novidade nenhuma que carnes são cancerigenas . Em 2015, a Organização Mundial da Saúde, órgão da ONU, classificou as carnes processadas, como salsicha, bacon, presunto, peito de peru e outros, como tão cancerígenas quanto o cigarro e o amianto. Já a carne “regular” faz parte do segundo grupo de substâncias mais arriscadas, especialmente para o câncer colorretal, exatamente o que Rob teve.

Em um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard, mulheres que consumiam 1,5 porção de carne vermelha por dia apresentaram propensão 22%maior de desenvolver câncer de mama do que mulheres que consumiam uma porção de carne vermelha por semana. E não pára por aí: produtos de origem animal ainda foram relacionados a diabetes  e doenças do coração.

Os riscos de câncer, diabetes e doenças cardíacas são enormes para todos.

A dieta vegetariana sempre foi alvo de dúvidas e questionamentos para algumas pessoas. Atualmente adotada por muitos como um estilo de vida, cada vez mais os indivíduos se tornam vegetarianos. Além de vários benefícios que a alimentação à base de vegetais pode trazer à saúde dos indivíduos, há um em destaque que  chama a atenção e merece um estudo especial: Segundo pesquisas a incidência  de câncer seria menor em vegetarianos. Será que essa afirmação tem fundamento ?

A alimentação vegetariana de uma maneira geral está associada com uma dieta melhor que a onívora, onde há o consumo de carne. Normalmente com pouca gordura saturada esses alimentos são usados como parte de programas de saúde principalmente na tentativa de reverter quadros clínicos de complicações coronarianas. Os benefícios das dietas vegetarianas  para as pessoas  é devido ao baixo nível de colesterol, de gordura saturada, de proteína animal e a uma concentração maior de antioxidantes como as vitaminas E e C, fitoquímicos, carotenóides e folato que apresenta a capacidade de reduzir o nível sérico de homocisteína.

O fato de parar de comer carne por si só não confere nenhum tipo de garantia de que a pessoa não desenvolverá um tumor, apesar da carne está relacionada às várias doenças que afetam o organismo humano. Os hábitos saudáveis que são encontrados nos vegetarianos é que favorecem uma proteção contra vários tipos de câncer em virtude dos benefícios que uma dieta vegetariana pode proporcionar e que inclui um maior consumo de frutas, cereais integrais, hortaliças e alimentos funcionais que melhoram a defesa contra os radicais livres e favorecem menos casos de obesidade, além do não consumo de carne e um menor índice de tabagismo.

Mais vale salientar …

O aquecimento da carne aumenta as chances de ter um câncer?
– Sim, a temperatura mais alta gera compostos que contribuem para aumentar o risco carcinogênico, apesar de nem todos os compostos terem seus efeitos completamente conhecidos.
Há explicações que nos façam entender por que o aquecimento das carnes aumenta o risco de câncer?
– Sim. Cozinhar em altas temperaturas ou com a carne em contato direto com a chama ou a superfície quente, como ocorre com o churrasco e no ato de grelhar, produz substâncias químicas carcinogênicas, como as aminas heterocíclicas aromáticas e os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos.
Quais são os componentes da carne que aumentam o risco de câncer?
Há elementos da carne que mostram associação com o câncer, como o próprio ferro heme.
O cozimento da carne vermelha ou processada, também, produz aminas heterocíclicas aromáticas, bem como outros produtos, incluindo hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (que igualmente são encontrados na poluição do ar).
Adotar uma dieta vegetariana é uma estratégia inteligente para a prevenção contra o câncer.
Dr. Eric Slywitch
Médico (formado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí)
Vanessa Bonafini

A indústria farmacêutica está escondendo a cura?

Resultado de imagem para industria farmaceutica e o cancer ?

Já inventaram a cura do câncer? A suposição de que a cura do câncer já foi descoberta não é nada incomum.

O principal argumento utilizado pelas pessoas que defendem a tese de que a cura do câncer já foi descoberta é a de que seria financeiramente mais vantajoso para a indústria farmacêutica continuar fazendo o tratamento convencional, que pode ser custoso e demorado.

Nesse caso, se existisse uma cura do câncer, ela seria muito menos rentável, pois o paciente precisaria ser curado apenas uma vez e não haveria a necessidade de gastar dinheiro por tempo indeterminado com remédios e tratamentos, o que, por sua vez, colocaria os lucros da indústria farmacêutica no chão.

Afirmar que a cura do câncer já existe é uma afirmação ousada. Isso porque o câncer é um problema complexo que atinge o corpo humano.

O câncer pode ser definido como o crescimento anormal, acelerado e descontrolado de um tecido ou célula do corpo. Esse descontrole no crescimento gera um tumor, que nada mais é do que um aglomerado dessas células.

Ao contrário do que as pessoas imaginam, o câncer não é uma doença, mas várias doenças, que apresentam diferenças, particularidades e que, mais importante, são tratadas de maneiras diferentes.

Isso porque os tumores podem acontecer em diferentes áreas do corpo. Dessa forma, cada tipo de câncer apresenta sintomas, velocidade de crescimento e estratégias de tratamento diferentes.

Para se ter uma ideia, existem mais de 100 tipos de câncer e eles podem se desenvolver em qualquer lugar do corpo, causando sintomas diferentes e exigindo tratamentos diversos.

Câncer não se refere somente a uma doença, mas a um conjunto de doenças, que se manifestam de maneiras diferentes, em tecidos diferentes causando sintomas diferentes.

Por esse motivo, não faz sentido falarmos sobre a cura do câncer, mas sim sobre as curas do câncer.

O que todos os cânceres têm em comum é justamente a divisão celular incontrolável, causada por uma mutação genética repentina. Acontece que cada câncer é causado por um conjunto diferente de mutações genéticas.

Os especialistas da área médica normalmente são categóricos com relação à cura do câncer. Uma única cura funcional para todos os tipos de câncer é cientificamente impossível.

Uma única cura não funcionaria para todos eles, porque existem mais de (100) tipos de câncer.

A verdade por trás supostas curas do câncer

Existem diversas histórias envolvendo a cura do câncer. Muitas delas entram em detalhes sobre a vida do pesquisador e como ele foi calado pela indústria farmacêutica.

O grande problema é que as histórias contadas nos vídeos e textos perdidos pela internet variam bastante entre si e contam detalhes imprecisos, incorretos ou então manipulam toda a história.

Alguns tipos de câncer, entretanto, têm cura. O câncer de próstata, de tireoide, o melanoma e o câncer de mama são alguns exemplos. Mas, novamente, isso não é verdade para todos os outros tipos de câncer. Mas,  isso não é verdade para todos os outros tipos de câncer.

Todos nós já fomos somente uma célula, quando o espermatozoide do pai se uniu ao óvulo da mãe e, a partir daí, formou o corpo inteiro. O que o câncer faz é usar algumas das estratégias utilizadas na formação do nosso corpo para formar o tumor. O dia em que nós tivermos um conhecimento completo do câncer, quando todos os tipos de câncer tiverem cura, passaremos a entender a vida inteiramente. Porque os mecanismos que o câncer usa são os mesmos que a vida utilizou para formar um ser humano, diz Paulo Hoff, ( diretor geral do centro de oncologia do Hospital Sírio – Libanês.

A verdade é que existe muitas controvérsias  entre indústrias farmacêuticas no mundo todo, segundo o médico dinamarquês Peter Gotzsche ele compara a indústria ao crime organizado e a considera uma ameaça à prática da medicina segura.

” Isso é fato, não é acusação. Ela a indústria sabe que determinada ação é errada, criminosa, mas continua fazendo de novo e de novo, É o que a máfia faz. Esses crimes envolvem práticas como forjar evidências e fraudes”, diz.

Assistindo a uma série chamada “The Truth About Cancer”, vi um médico falando o seguinte: “O dinheiro não está nas pessoas sadias. O dinheiro não está nas pessoas mortas. O dinheiro está nos doentes crônicos”. Essa foi uma frase marcante que ele utilizou para revelar a lógica por trás das formas de “tratar” as doenças pelo sistema convencional. Só que nem sempre a medicina foi assim.

Segundo o documentário, haviam faculdades de medicina nos Estados Unidos onde se ensinava técnicas de curas naturais como naturopatia, medicina com ervas e homeopatia até o final do século 19 e início do século 20. Essas abordagens levam o ser humano a se equilibrar mental, emocional, energeticamente, através de uma visão holística, o que leva a cura inclusive dos males físicos. Não havia uma única forma hegemônica de se praticar medicina.

A partir de uma determinada época a indústria passou a financiar as faculdades de medicina doando recursos que poderiam ser abatidos do imposto de renda. Isso tinha um ganho duplo. O primeiro, é que as empresas que financiavam ficavam bem vistas perante a sociedade por contribuir para o desenvolvimento da medicina. A segunda vantagem é que, quando alguém financia, esse alguém tem um grande poder pra decidir em que direção as pesquisas devem ser feitas.

Imagine uma companhia que fabrica medicamentos químicos e que doa 20 milhões de dólares pra pesquisa. Pra onde você imagina que ela vai direcionar as pesquisas? Obviamente, pra “solução” das doenças através de medicamentos que ela mesma fabrica.

Não faria o menor sentido uma empresa que vende medicamentos doar um valor pra pesquisa e dizer: “Nós queremos que vocês usem esse dinheiro da melhor maneira possível, e podem inclusive desenvolver uma forma de cura natural que não envolva nenhum tipo de química”. A indústria farmacêutica, como qualquer outra, precisa dar lucro e mostrar resultados pros acionistas.

A vasta maioria dos medicamentos que são fabricados são derivados de petróleo. Eu não sei se você já sabia disso, mas eu não fazia a menor ideia até ver esse documentário e confirmar com pesquisas que fiz na internet.

A indústria do petróleo, que era monopolizada pelo grupo Rockefeller nos Estados Unidos, descobriu que poderia manipular, através da química orgânica, as moléculas do petróleo e transformá-las em milhares de outros compostos químicos que poderiam ser patenteados. E assim foram criadas as drogas patenteadas.

As fundações Carnergie e Rockefeller, abraçaram a missão de reformar os cursos de medicina e estabelecer “a melhor forma” de se praticar medicina. A princípio poderia parecer uma coisa altruísta, mas, o que aconteceu foi o estabelecimento de um grande monopólio da medicina baseada na utilização unicamente de medicamentos químicos.

Uma outra coisa que é importante observar é que não tem como se ter um grande lucro com produtos naturais por que eles não podem ser patenteados. Um medicamento, pra que ele seja patenteado, tem que obrigatoriamente ser uma substância que não é encontrada na natureza.

Por isso a indústria não vai ter o menor interesse em financiar pesquisas com substâncias naturais.

A partir dessa mudança na medicina tudo o que era natural e não baseado em medicamentos químicos passou a ser gradativamente considerado como algo não científico e atrasado. As práticas naturais foram perdendo força e muitos profissionais dessa área chegaram a ser perseguidos. Com o passar do tempo a medicina alopática passou a ser “A Medicina”.

Além de exercer uma influência poderosa no que é ensinado nas faculdades, a indústria bilionária começou a financiar políticos e passou a ter representantes defendendo seus interesses infiltrados no congresso e no poder executivo.

Vivemos numa sociedade em que busca-se que as necessidades humanas sejam cada vez mais mercantilizadas.

Minha pergunta é a seguinte : As autoridades de saúde têm afirmado há anos que estão à beira de uma cura para o câncer com o advento de tratamentos novos e mais eficazes. Mas se esses novos medicamentos realmente são uma forma eficaz de manter o câncer sob controle, então por que os diagnósticos de câncer estão aumentando a um ritmo sem precedentes?

 

Vanessa Bonafini

Para quem tiver interesse no livro do médico

 

Resultado de imagem para cancer

 

Como ser minimalista

Minimalista é algo ou alguém adepto daquilo que é simples e elementar, considerado um estilo de vida para indivíduos que buscam o mínimo possível de meios e recursos para viver. No entanto, este termo pode ter varias acepções, dependendo do contexto em que é utilizado.
O minimalismo propriamente dito surgiu de artistas como Sol LeWitt, Frank Stella, Donald Judd e Robert Smithson.
Muitas pessoas têm medo da palavra “minimalista” ou “minimalismo”. A palavra e diretamente relacionada com o fato de viver em forma espartana ou sofrem diariamente com o desconforto de não ter praticamente nada. Minimalismo, como sendo um republicano ou democrata é apenas uma ideologia geral. Ele se baseia na premissa de que ter menos coisas é melhor. E uma vez que em ideologias políticas, pode-se ir do centro para as extremidades possam ser mais fanáticos.

O fato de manter as ideologias em fogo médio é algo que você aprende com maturidade e prática. Os extremos não são bons para qualquer pensamento. Ou para a pessoa que baseia toda a sua vida no consumo viciante de bens e pede para ir à falência, para o indivíduo que escolhe viver como um eremita no campo com nada e, obviamente, ninguém. O segredo é ficar inclinada para o lado que você gosta, mas sem exagero, dando apenas os passos que fazem você se sentir bem e não esta ou aquela ideologia.

Ser minimalista, não significa morar em uma kitnet com poucos móveis e não ter aparelhos eletrônicos. Também não é livrar-se de todas as roupas ou não ter mais prazer algum fazendo compras. Essa é uma visão extrema!

Para ser minimalista não existe regra. Até porque, cabe a cada um saber o que é importante para si mesmo. Esta mudança está diretamente ligada ao que cada um entende como felicidade. O problema está no significado real que essas coisas tem nas nossas vidas e no sacrifício que as vezes fazemos para possuí-las sem perceber o quanto elas arruinam nosso bem-estar, nossos relacionamentos e até mesmo nossa saúde.

O autoconhecimento é fundamental nas mais diferentes esferas da vida, pois com ele você consegue reconhecer no que ainda pode melhorar e como fazer isso.

Tratado-se de minimalismo, você deve enxergar para si mesmo e pensar no que faz você querer comprar mais do que o essencial. Você está passando por dificuldades e o ato de comprar ajuda a amenizar?  Você sente ansiedade e acaba comprando por impulso? Enfim, faça um questionamento profundo para reconhecer a raiz do problema.

Uma questão interessante é você pensar no minimalismo não só no que você compra. Por exemplo, você frequentemente come mais do que necessário, pela gula mesmo? Tem pessoas que não te fazem bem, mas você continua mantendo relação próxima?

Assim você vai conseguir dar foco e energia no que realmente vale a pena.

Mude seus hábitos

Segundo a neurociência, um novo hábito é começar a fazer algo que antes não fazia até criar costume e fazer de forma automática. Porém, não é de um dia para o outro que você se adapta a nova rotina, cada hábito leva um tempo para ser criado e esse tempo varia muito de pessoa para pessoa e da complexidade do objetivo.

O psicólogo Jeremy Dean também achou. Autor do livro Making Habits, Breaking Habits: Why We Do Things, Why We Don’t, and How to Make Any Change Stick, sobre como o cérebro funciona quando precisa automatizar escolhas, criando hábitos, e o quão difícil é se livrar de hábitos antigos e substituí-los pelos novos, ele fala sobre alguns estudos que dão embasamento científico real pra um possível número de dias necessário pra se formar um hábito.

De acordo com os estudos mencionados por Dean no livro, leva em média 66 dias para que alguém adquira um novo hábito, ou seja, comece a fazer algo que antes não era costume de maneira automática. Mas esse número é uma média e ele variou bastante de indivíduo para indivíduo e, claro, dependendo do hábitos.

Desfrute uma vida mais leve

Quando você começa a inserir o minimalismo na sua vida, logo você percebe que todo aquele consumo excessivo não iria lhe trazer felicidade. Pelo contrário, esse consumo era um impeditivo, pois você estava deixando de investir em experiências que iriam lhe trazer mais felicidade. Na realidade, você só estava adquirindo itens que você julgava essenciais, mas que não eram.

Muitas pessoas veem o minimalismo como um estilo de vida de sacrifícios, de frustrações, de falta, de escassez. Mas quando se adota essa concepção diante da vida, elas percebem que é possível viver com mais: mais tempo, mais dinheiro, mais alegrias, mais leveza, mais espaço, ou seja, vivendo na abundância do que realmente importa.

Ao adotar o minimalismo, você começa a dar mais importância para a qualidade das coisas que o cercam, do seu convívio, do que para a quantidade de itens que você possui. E mudar essa mentalidade trará reflexos em vários aspectos da sua vida, principalmente no financeiro.

Com o minimalismo você percebe que não são as coisas que você possui que lhe transformarão ou ficarão guardadas na sua memória, mas sim as experiências que você vivencia ao longo da sua jornada.

Portanto, descubra o estilo de vida minimalista e veja a vida com outros olhos, aproveitando todos os benefícios do minimalismo em todos os aspectos do seu cotidiano.

 

Vanessa Bonafini

Como Evoluir e Melhorar a Cada Dia.

Beautiful-Example-Of-Imagination-Art-Photos

Quantos de nós não somos resistentes a mudanças? Mudar dá trabalho, cansa, tira o sossego e assusta. Quantos de nós não nos acomodamos a determinadas situações e condições pelo simples medo do desconhecido? Mudar de casa, de trabalho, de parceiro , de vida, de estilo, de visual… Na maioria das vezes as pessoas não mudam por causa dos outros , o que será que as pessoas irão pensar ?
A que ponto chegamos , damos mais importância ao que os outros pensam do que aquilo que realmente queremos , deste modo fica mesmo difícil ser feliz.
Will Durant, em “Filosofia da Vida” fala que “A nossa cultura é hoje muito superficial, e os nossos conhecimentos são muito perigosos, já que a nossa riqueza em mecânica contrasta com a pobreza de propósitos”
Criamos nossas próprias prisões e agora temos medo de nos libertar , ficamos tão ligados aos bens materiais e sociais que distorcemos nossos valores e definição de felicidade para poder alcança-los e mantê-los , esquecemos do real motivo do conhecimento que é melhorar a vida das pessoas.
Partindo do pressuposto de que o comportamento humano é um ato de vontade e por ser um ato volitivo escolhemos e adotamos o tipo de comportamento que nos parece ser, nas circunstâncias, o mais conveniente. Todas as formas de comportamento são, em princípio, passíveis de ser escolhidas e adotadas. Com um mundo repleto de tecnologia, grandes invenções, pessoas boas, pessoas ruins, o poder sendo disputado com guerras, onde pessoas morrem, o dinheiro dita as leis, formulas e armas matam pessoas, destroem tudo pela frente, a fome a miséria, tudo isso ronda o mundo, mas onde está o verdadeiro sentido da vida ? Será possível fazer da vida algo diferente neste mundo que estamos?
Ao contrário do que imaginamos não precisamos ter mais dinheiro e sim mais coração, mais conhecimento e mais vontade de fazer desse mundo um lugar melhor . Que venham as coisas ruins, as coisas boas, pois se você estiver consciente de que DEPENDE de VOCÊ conseguiremos virar o jogo.

O melhor investimento é o que podemos fazer em nossa mente. O enriquecimento mental é o patrimônio supremo e definitivo. Tudo que se acumula de material pode ser roubado, mas o investimento que fazemos em nossa própria mente ninguém pode roubar. Se todo o nosso patrimônio consistir de bens materiais e o perdermos, ficaremos de fato sem nada. Porém, se conquistamos a sabedoria, esta será sempre nosso patrimônio principal, pois dela as circunstâncias não poderão privar-nos e, por meio dela, conquistaremos tudo o mais de volta.

A maioria de nós, pessoas adultas, certamente tem se empenhado em ser melhor como pessoa e em ter uma vida familiar saudável. Temos levado o nosso trabalho a sério, temos pesquisado sobre a nossa especialidade, desenvolvido melhorias e conseguido um grau razoável de êxito. Poderíamos, contudo, ter sido muito mais bem sucedidos, se tivéssemos tido clareza, desde quando éramos bem jovens, sobre uma série de fatores que constituem, por assim dizer, uma “lógica da vida”. Se tal tivesse acontecido, teríamos estabelecido objetivos e planejado o que fazer para atingir nossos objetivos; teríamos lido mais, pesquisado mais, nos associado mais com outras pessoas, procurado mais informações com os experts, investido mais no nosso desenvolvimento e na nossa aparência, administrado melhor o nosso dinheiro e o nosso tempo.

Então, por que não o fizemos ? Porque a nossa educação formal não tem dado a devida importância a estes ensinamentos. É tempo, portanto, de despertarmos para os fatores do êxito na vida e passarmos a cultivá-los todos os dias. O êxito depende de crescimento e mudanças diárias. É preciso refletir , pensar na vida e no mundo para evoluirmos como seres humanos.

Vanessa Bonafini

Pessoas Tóxicas

Talvez você seja uma pessoa tóxica e não saiba.

Falar de pessoas tóxicas é algo muito complexo, pois elas não têm uma característica padrão. Muitas vezes, elas parecem aos olhos do mundo ótimas pessoas, dando apenas aos mais próximos a chance de conhecê-las profundamente.

Dessa forma, quando ficamos um longo tempo próximos de alguém que tem o poder de nos intoxicar, é comum que comecemos a ter dificuldades de discernimento, falta de ânimo, problemas psicológicos e físicos devido a somatização de problemas. Problemas que, à princípio, poderiam ser até mesmo pequenos, mais que se avolumaram devido ao contato com uma ou mais pessoas tóxicas.

Eu mesmo já tive pessoas tóxicas ao alcance de uma mão. Demorei muitos anos para entender o mal que eu estava me fazendo ao permitir que pessoas assim pudessem opinar ou partilhar de minha vida.

Uma pessoa tóxica vai sentar ao seu lado e tentar provar que você não é capaz, vai torcer para você ser demitido, vai desejar que você seja tão vulnerável quanto ela. A pessoa tóxica vai te desmerecer e desmerecer aqueles que te amam de verdade. Vai sempre olhar para você e enxergar as piores coisas. A pessoa tóxica vai fingir que está ao seu lado, mas na verdade ela vai ser a primeira a puxar seu tapete quando você se desequilibrar. Não aceite nada de pessoas tóxicas, até mesmo as boas intenções não são tão boas assim.

O melhor a fazer é tomar distância delas. Viva sua vida da melhor forma possível, tenha fé na luz que existe em você, seja paciente com seus tropeços e acredite na força de seus passos.

Uma pessoa tóxica é aquela que parece “sugar” a sua energia e literalmente envenenar as suas ideias, escolhas, hábitos e todo um ambiente.

Frequentemente isso ocorre através de comentários ou atitudes — conscientes e inconscientes — que muitas vezes parecem inofensivas e parte da nossa rotina.

Parceiros, sócios, chefes, relacionamentos, amigos, colegas de trabalho e familiares. Elas estão em todos os lugares e com certeza você já se deparou, convive ou é uma pessoa tóxica.

Pode ser bem complicado! E se torna mais difícil se você está vulnerável de alguma forma, passando por uma fase difícil. Pois a sua percepção ou capacidade de cortar relações pode estar reduzida, o que te coloca em posição de se tornar refém de pessoas e atitudes assim.

Em tempo de mídias sociais, intolerância, trollagem, frustração e pessimismo, nós vivemos uma “Economia Emocional”. O ambiente digital se tornou perfeito para a toxicidade contagiante, onde atitudes e sentimentos negativos, tragédias e a desgraça alheia infelizmente são os “melhores” memes do momento.

Talvez disso tenha surgido o disfarce de socialização, que nos impede de realmente conhecer as pessoas e nossos próprios amigos, suas visões, seus sonhos e suas ideias.

Deveríamos ter uma escuta ativa, estar presente, dialogar e refletir sobre as ideias para criar as nossas próprias perspectivas das coisas. Deveríamos conhecer e não só conviver.

Apesar desse suposto disfarce de socialização , a gente continua um animal de bando.

A felicidade, realização e melhor versão de nós mesmos — deve ser o papel das nossas relações. Ao contrário, algumas dinâmicas sociais podem tirar a nossa autonomia, a nossa energia e neutralizar a nossa própria identidade e poder de decisão.

Deixemos que as pessoas tóxicas sejam apenas uma vaga lembrança em nosso passado. A vida se encarrega do resto.

Vanessa Bonafini

Assim como há pessoas tóxicas, há pessoas medicinais que chegam perto da gente e curam nossa alma.... Frase de Andrew Amaurick.

Quando você perdoa, se cura.Quando você se cura evolui.

Você é capaz de perdoar?

Todos nós um dia tivemos ou teremos de lidar com questões que nos fere por dentro. Algumas coisas são fáceis de deixar para trás, outras levam tempo. Isso se chama mágoa e está instalada na alma. A mágoa é um sentimento que nos prende, e quando ela se instala no nosso coração nos tira a paz, a alegria e até a nossa liberdade de lidar com as circunstâncias, de viver. E se a alma, por sua vez, não for tratada pode desencadear doenças emocionais, físicas e também espirituais, difíceis de serem cicatrizadas.

Você sabe o que a amargura pode fazer para o seu corpo? Ela interfere nos sistemas hormonal e imunológico. Além disso, pessoas zangadas e de mal com a vida tem pressão arterial e frequência cardíaca mais altas. Pessoas nesse grupo são mais propensas a morrer por problemas cardíacos e outras doenças.

Fisiologicamente, quando temos sentimentos negativos por outra pessoa, o nosso corpo instintivamente se prepara para lutar contra ela, o que leva a alterações como aumento da pressão arterial. Sentir-se dessa forma por um curto período pode não ser perigoso para a saúde – pode ser até útil para combater um inimigo – mas o problema é quando a amargura é contínua.

Sendo assim, qual seria a chave para abrir a porta dessa prisão? Como perdoar quem te fez mal? Como deixar livre o ofensor que te feriu? Quem traiu sua confiança? Quem quebrou uma aliança com você?

A chave para a libertação da alma é o perdão. Ele tem o poder de nos curar interiormente. Perdoar é resolver uma dívida, é liberar o ofensor para prosseguir e também a si mesmo. Já a falta de perdão corrói a alma, trás prisão interior. É como se alguém tomasse um veneno e este, por sua vez, fosse matando o indivíduo aos poucos. A falta de perdão só produz condenação e morte, seja ela física, emocional ou espiritual.

Entenda que liberar perdão é uma decisão, uma escolha, e não um sentimento. Você deve estar indignado comigo agora, não é mesmo?! Perdoar, geralmente não é fácil, mesmo quando você não é o responsável pela ofensa. Imagine, perdoar sem ter culpa, dar o primeiro passo, e ainda deixar o sentimento de lado. Não é nada fácil!

Por isso vamos tomar cuidado com os nosso sentimentos… principalmente daqueles que escondemos de nós.

‘Quem esconde os sentimentos, retarda o crescimento da Alma’.

 

Vanessa Bonafini

Mindful Consciente.

como ser mindful

 

O que significa ser mindful , ou Vida Consciente ?
Vida consciente não é um estilo de vida, mas sim uma filosofia!
Uma filosofia que te faz repensar antigos hábitos, crenças, pensamentos, emoções, sentimentos, seu consumo e por aí vai. E é  a partir das suas reflexões e insights que você pode então criar o seu estilo de vida, aquele que te faça feliz, que tenha propósito e que você ame viver. Então me diz, você sabe porque levanta todos os dias? Quais as suas motivações?
Você pode ter ouvido de meditação mindfulness, mas o que significa? Mindfulness é definida como a qualidade ou estado de ser consciente de algo. Ser mindful significa ter essa consciência de tudo à sua volta. De acordo com Jon Kabat-Zinn, “mindfulness significa prestar atenção de uma maneira particular; com propósito, no momento presente, e sem julgamentos.”

Pessoas que praticam mindfulness aprendem a prestar atenção com propósito. Estar consciente é uma maneira intencional de ser que você pode cultivar em uma base diária. Ser mindful significa ser consciente e ciente de todas as coisas ao seu redor e como afetá-las.

Mas o que é vida consciente?

Vida consciente é um termo muito novo mas já é uma filosofia de vida existente há milhares de anos. Portanto ser consciente da sua vida vai além do autoconhecimento ou do cuidado com o meio ambiente. É entender as nossas atitudes, o porquê dos nossos hábitos, nossos desejos de consumo (seja em forma de alimento, informação ou bens materiais). É trazer a consciência para tudo aquilo que a gente faz, sente, pensa e entender como isso afeta os nosso relacionamentos, a forma como encaramos os nossos desafios e nossos sonhos. Afinal, tudo que fazemos, pensamos ou consumimos gera um impacto interno em nós e também um impacto para o mundo.

Viver de forma consciente é viver no presente. É se escutar, se aceitar e perceber o que suas emoções, seu corpo e seus pensamentos falam sobre você e para você. Essa atenção dada para todos os pilares da sua vida irá te ajudar a criar um estilo de vida que você ame viver. Trará clareza para seu propósito e te dará motivação para correr atrás de seus sonhos e objetivos.

Áreas que melhoram quando você tem uma vida mais consciente

viver de forma consciente é ter mais consciência em todas as áreas da nossa vida. Não quer dizer que você precisa saber de tudo, mas te dá a chance de repensar e refletir sobre diversas áreas. Abaixo listei 6 áreas que que melhoram quando você passa a ter uma vida mais consciente. Mas é importante ressaltar que todas as áreas irão melhorar e que os exemplos abaixo são apenas alguns dos pontos de melhoria. Na prática você irá experienciar muito mais.

Financeiro: Você transforma a sua relação com o dinheiro, entendendo que ele também é necessário e que é uma energia de troca como qualquer outra. Muitos de nós temos crenças e bloqueios! E, com uma maior consciência é possível desbloquear nossos problemas com o dinheiro, fazer as pazes com ele e se conectar com o que ele verdadeiramente significa. Você passa a  entender melhor os conceitos de prosperidade e abundância e como trazê-los para sua vida como um todo.

Profissional: Você tomará maior consciência das suas capacidades e habilidades e as coloca a seu favor, melhorando os resultados que entrega. Você passará a entender melhor suas motivações e mesmo em momentos desafiadores conseguirá voltar ao equilíbrio com mais facilidade. Além é claro de melhorar seu relacionamento com seus colegas de trabalho

Relacionamentos: Estando mais consciente de si você passa a ter maior empatia, tanto com você sente como com os outros. Todos temos nossos desafios. E, quando mudamos a maneira como nos vemos, mudamos também a maneira de enxergar e entender o próximo. Isso facilita nosso convívio, entendimento e relações em geral. Outro benefício de estar mais consciente é diminuir as projeções e expectativas no outros, o que nos ajuda a lidar melhor com essas situações e evitar frustrações. Dentre outros milhares de benefícios, você também passa a se comunicar de forma mais efetiva.

Saúde e Bem-Estar: Você passa a se escutar e se permitir mais. Terá maior consciência dos sinais do seu corpo como um todo, e isso vai te ajudar a respeitar os seus limites e necessidades. Você passa a analisar seus hábitos e refletir para onde eles estão te levando, se para onde você deseja ou se querem te passar um sinal de que as coisas não estão bem. Com uma vida mais consciente sua qualidade de vida irá melhorar e consequentemente a sensação de bem-estar e com isso inúmeros benefícios a sua saúde ( o que te ajudará a prevenir doenças).

Autoestima: Você passa a se entender melhor, suas emoções, mecanismos mentais e aceita que tudo o que passa é para o seu crescimento e evolução com mais autocompaixão. Passa a ter mais cuidado consigo e empatia com seus próprios processos, diminuindo o autojulgamento e autocrítica. E com isso, cria mais autoconfiança pois compreende que consegue lidar inclusive com seus maiores desafios.

Hábitos de Consumo: Nossos hábitos de consumo impactam não só a nós mesmo mas também o nosso planeta. Ter consciência do que consome é refletir sobre esse impacto, sobre as reais necessidades e motivações que se tem ao consumir determinado produto. De onde veio, para onde vai e como ele irá agir em nós! O consumo consciente nos ajuda a ressignificar nossas vontades de compra e passamos a priorizar por produtos, serviços e informações que causem um impacto positivo em nós e que não causem um impacto negativo no mundo.

A partir de uma vida mais consciente você passa a ser mais resiliente frente aos desafios. Se permite sentir e acolher mais o que está passando, tanto em momentos bons quanto nos ruins. Você consegue trazer mais significado, clareza e entendimento da vida em geral. Nem sempre serão momentos fáceis, mas sempre serão muito valiosos para seu desenvolvimento e evolução.

Há muitas maneiras de se tornar mais consciente e meditação mindfulness é uma dessas maneiras. Há muitos recursos de meditação mindfulness na web. Aqui estão algumas dicas sobre como ser mais atento …

  • Preste atenção à sua respiração. Quando tudo mais falhar sempre volte a esta dica.
  • Tente perceber tudo o que você está fazendo quando faz algo específico. Por exemplo, se estiver tomando banho perceba o som da água, a temperatura da água, o cheiro do sabonete e qualquer outra coisa que você possa sentir. Se você está comendo perceba a textura e a cor do alimento, seu gosto, seu cheiro.
  • Concentre-se nas coisas que te distraem. Concentre-se em trazer mais consciência para esses momentos de distração.
  • Esteja ciente das pessoas ao seu redor. Observe seus olhos, suas roupas. Tire proveito de cada momento e cumprimente alguém ou expresse afeto.

Imagine um mundo mais consciente!